Diário de Um Hemofílico de Bem Com A Vida e Notícias e Tudo Sobre Hemofilia

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

INIBIDOR E IMUNOTOLERÂNCIA:

Hoje o tratamento da hemofilia tem avançado de modo elevado, de modo que, as pessoas com hemofilia podem viver com maior qualidade de vida e segurança. Mas um dos problemas que podem surgir e dificultar o tratamento é o desenvolvimento de inibidores.

Felizmente a manifestação de inibidores  não afeta a todos os hemofílicos, e outra boa notícia é que, existem tratamento para ele e que funciona em grande parte dos casos, nos demais a outras formas de medicamento que podem ser utilizados. Segundo estudo apresentado pelo    Hemoes, o inibidor é  a complicação que mais dificulta o tratamento da hemofilia e afeta aproximadamente, 30% dos pacientes com hemofilia A severa e 0,9-7% dos pacientes com hemofilia A leve e moderada e 3% dos pacientes com hemofilia B. 

O médico  hematologista, Guilherme Genovez, explica que, o desenvolvimento do inibidor, é uma das complicações mais temíveis em pacientes com hemofilia refere-se ao aparecimento de inibidores. 

Neste caso, os pacientes acometidos passam a não responder à infusão do fator deficiente e apresentam episódios hemorrágicos de "difícil controle”.



"Inibidores" são anticorpos7 contra o FVIII ou FIX, produzidos pelo próprio paciente com hemofilia, após a terapia de reposição com o fator de coagulação ausente ou deficiente. Os inibidores dificultam a atuação desses fatores repostos, reduzindo ou anulando os efeitos destes.



Em Linhas gerais,  inibidor nada mais é que o ato do organismo criar anticorpos contra os fatores de coagulação usados no tratamento da hemofilia - ocorre que o corpo pode entender que o medicamento é o invasor, um corpo estranho entrando na corrente sanguínea e tenta então combate-lo.

IMUNOTOLERÂNCIA:


A Terapia de Indução de Imunotolerância elimina esses inibidores. Ela é indicada para pacientes com até dez anos de idade e que tenham tido resistência ao medicamento por mais de seis meses. 


“Os medicamentos usados no momento certo contribuem para o desaparecimento de inibidores, fazendo com que a doença se normalize e, com isso, o paciente tenha a oportunidade de receber a dose domiciliar, ganhando mais independência para aumentar sua qualidade de vida”, acrescenta Genovez. 

 O tratamento de imunotolerância faz com que o organismo pare de produzir anticorpos contra o fator VIII administrado. É realizado em pacientes com hemofilia A e consiste em fazer a infusão de fator VIII em doses mais elevadas que as da profilaxia, pelo menos três vezes por semana. 

De acordo com a resposta ao tratamento, pode ser necessário aumentar a dose e o número de infusões semanais. Segundo informa o Ministério da Saúde, através da Coordenação do Sangue.

Não há limite de idade para a realização do tratamento de imunotolerância. 

Porém, o prognóstico do tratamento é melhor quanto antes iniciado o tratamento, ou seja, assim que descoberto o desenvolvimento do inibidor.

Em média, a duração do tratamento é de 36 a 48 meses. Durante este período, os agentes de bypass como o complexo protrobínico ativado ou fator VII ativado são usados concomitantemente com o fator VIII para estancar os sangramentos.

DUVIDAS

A imunotolerância pode aumentar hemorragias?


Sim, aumenta os sangramentos normalmente no começo, pois a imunotolerância é a infusão dos fatores que desencadearam o inibidor.  Por isso, o ideal é que junto com a imunotolerância (que são as doses mais elevandas de fator VIII e também aumento da freqüência de dias de infusão) que seja feito infusão também de bypass (FEIBA ou Fator VII recombinante /Novo Seven), Justamente para não sangrar, ou seja, esses sangramentos são controlados...
 Ou seja que é importante que  infundidos também FEIBA ou Novo Seven, pelo menos no começo até que baixe o inibidor suficiente para não sangrar.

IMUNOTOLERÂNCIA É
 ANUNCIADA
 OFICIALMENTE - 
04/01/2012

O anuncio oficial do tratamento com imunotolerância foi feito em janeiro de 2012, no Dia Nacional do Hemofílico, em evento promovido pela Coordenação do Sangue e Ministério da Saúde, que tivemos o privilégio de assistir.

 Durante o evento foi comemorado o dia nacional do hemofílico, 4 de janeiro, e várias palestras marcaram a data, inclusive uma que apresentamos, De bem com a vida e com a hemofilia - turbulências não nós impedem de voar. 

Na ocasião foi lançada oficialmente a profilaxia primária, com o novo protocolo de tratamento da hemofilia.

 Baseado em fontes da FBH, ABHH e Coordenação do Sangue. 









.


mais sobre hemofilia



mais postagens




Em 1911, o Cais do Valongo foi aterrado e redescoberto 100 anos depois

Nasci hemofílico, virei guerreiro de sangue...

No meu imaginário de criança, era super herói, Super poderes? Sim, claro... resiliência,.. sensor de perigo igual o do homem aranha e capacidade de regeneração do Volwerine. . Brincando com efeitos especiais, olha no que deu... dei vida a imaginação.

+Leia Mais



NOTICIAS DAS ASSOCIAÇÕES

eu e a hemofilia


ç

LEIA TAMBÉM:



1
jamille edaes

2
Jamille e o marido, Roberto Edaes

3
Kalil chegou a ligar para o atacante Fred: "É o maior centroavante do Brasil há anos"

4
jamille edaes

1
jamille edaes

2
Jamille e o marido, Roberto Edaes

3
Kalil chegou a ligar para o atacante Fred: "É o maior centroavante do Brasil há anos"

4
jamille edaes

ds


tudo sobre hemofilia

AVENTUREIROS

ESCALADA
Um dos vencedores era hemofílico.Adventures Of Hemophilic, escalando pela hemofilia.
DESÁFIO
ENCONTRO
Hemofílicos no Desafio de Caribe, Ermanamento Brasil Venezuela.

HEMOFÍLICOS FAMOSOS

Eventos que participamos e cobrimos



Jamille e o marido, Roberto Edaes
Encontro Rio São Paulo de Hemofilia -RJ,
Kalil chegou a ligar para o atacante Fred: "É o maior centroavante do Brasil há anos"
Dia Mundial, APHISP - Campinas..
Kalil chegou a ligar para o atacante Fred: "É o maior centroavante do Brasil há anos"
Divulgando o Dia Mundial da Hemofilia Na Praça Sete. .