Diário de Um Hemofílico de Bem Com A Vida e Notícias e Tudo Sobre Hemofilia

quinta-feira, 9 de março de 2017

HEMOMINAS ESCLARECE SOBRE TRANSFUSÃO E FEBRE AMARELA



Diante da confirmação do surto de febre amarela envolvendo dez municípios mineiros, a Fundação Hemominas adota medidas preventivas na triagem que reforçam a segurança transfusional e não comprometam a qualidade do sangue. Desde o dia 16 de janeiro/2017 foram adotados novos critérios para Triagem clínica de Doadores durante a situação de surto de Febre Amarela em Minas Gerais.

 A primeira medida é o reforço da importância de o candidato a doação de sangue fornecer informações sobre viagens e visitas às áreas afetadas e ampliadas (conforme anexo). Caso o doador seja proveniente das áreas afetadas e ampliadas, ele ficará 30 dias inapto para realizar sua doação. Devido à ausência de recomendação específica para Febre Amarela, foi adotado o mesmo critério utilizado para malária.



Ao agendar pelo 155, opção 8, o doador também deverá informar ao atendente se recebeu a vacina contra a Febre Amarela. Caso ele tenha sido vacinado, o mesmo ficará impedido de realizar sua doação por 4 semanas, a contar da data da vacinação.

Já o doador que teve febre amarela somente poderá doar sangue 6 meses após a cura. Devido à ausência de recomendação específica para Febre Amarela, foi adotado o mesmo critério utilizado para Dengue Hemorrágica.
Durante a triagem clínica que antecede a doação, os doadores também são orientados a informar se apresentarem sintomas ou sinais sugestivos de arbovirores (dengue, chicungunya e Zika). Se houver aparecimento de sintomas de arboviroses em até 14 dias após a doação, como febre e dor de cabeça, o doador deve entrar em contato com a unidade em que realizou a doação de sangue informando sobre esses sintomas. É importante que a pessoa que apresente sintomas de arboviroses procure o serviço de saúde pública de sua cidade para diagnóstico e acompanhamento.
 Anexo

Guia de Orientação Transfusional em Febre Amarela
Seguindo os conceitos e diretrizes do ALERTA CLÍNICO EPIDEMIOLÓGICO de 13/01/20171 divulgado pela SES-MG, este guia traz orientações adicionais sobre o suporte hemoterápico para pacientes com casos suspeitos ou confirmados de febre amarela.

 Devido à ausência de protocolos transfusionais específicos para Febre Amarela, as orientações foram baseadas no Alerta Clínico-Epidemiológico, na literatura disponível e no manejo transfusional da dengue, do paciente crítico e guidelines internacionais de transfusões. 
A transfusão de hemocomponentes é mais um arsenal terapêutico no suporte clínico dos pacientes com arboviroses, deve ser utilizada considerando seus riscos e benefícios.

Saiba mais, acessando o link:


mais postagens

Em 1911, o Cais do Valongo foi aterrado e redescoberto 100 anos depois

Juntos Somos Mais Fortes...

No que estiver a nosso alcance ajudamos. O Jhoset Velasques diante das dificuldades na Venezuela veio pro Brasil... nós pediu contato de alguém que possa ajuda-lo. O Geovane tem Vonwillebrand e não está conseguindo profilaxia. Estamos tentando ajudar..


Em 1911, o Cais do Valongo foi aterrado e redescoberto 100 anos depois

Com Prevenção, Férias É Só Curtição.

Acho que até dona hemofilia tirou férias e foi pra Sibéria, eu colocando atividade física em dia e a leitura, pretendo acampar. Mães a beira de um hemoinfarte pelas estrepulias dos pequenos. Publicamos dicas de segurança pra férias seguras. .

+Leia Tudo.


LEIA TAMBÉM:



HEMOFILIA E HEMOFÍLICOS

tudo sobre hemofilia

ASSOCIAÇÕES
APH
Festa de fim de ano do HC-SP.Dia mundial no museu.
CHESP
AHESC
Halowen agita crianças no CHESP.AHESC com móveis novos.

tudo sobre hemofilia

AVENTUREIROS

ESCALADA
Um dos vencedores era hemofílico.Adventures Of Hemophilic, escalando pela hemofilia.
DESÁFIO
ENCONTRO
Hemofílicos no Desafio de Caribe, Ermanamento Brasil Venezuela.

HEMOFÍLICOS FAMOSOS