MINUTO A MINUTO

Férias chegando. Tomara dona hemofilia também de ferias...



SOBRE HEMOFILIA

evolução

CIRURGIA.

  • Written by Sora Templates

    HC Realiza Primeira Cirurgia Em Triatleta Hemofílico.

REVOLUÇÃO

CIÊNCIA

  • Written by Sora Templates

    Primeiro embrião híbrido de humano e porco foi criado em laboratório.



,

mais notícias

,

,

últimos dias

Eu e minha companheira de traquinagens. Aprontamos mais que dona hemofilia. Aniversário dela sexta-feira 13, sugestivo não? Ainda vimos um gato preto no caminho do salão de festas. Tia artrose tentou aprontar, mas uma fatorada com codeina e tudo foi bem. Entrando de férias agora, programando viagem pra curtir BH e aproveitar pra pegar fator. Ou seria o contrário. Certeza? De que a hemofilia não impede um viver de bem com a vida.

quadrilha de hemofílico

Entrei pra uma quadrilha, calma, não fui pra política. Festas juninas e julinas, é disso que estou falando, época que amo. Já dancei muita quadrilha, hoje vou só de observador e comedor. Falando nisso a festa junina da APH foi um show.

acidente de percurso

Depois de uma semana de muleta já estou bom e pronto pra outra.... (riso)



ANUNCIE AQUI
.
» »Da Redação » CAPACITAÇÃO -Capacitação do Projeto Reheduca

A Associação Paraense de Portadores de Hemofilia e Outras Coagulopatias Hereditárias (ASPAHC) realizou nos dias 22 e 23 de Setembro, em parceria com a Fundação HEMOPA e a Secretaria Municipal de Ponta de Pedras, atendimento ambulatorial às pessoas com hemofilia e um ciclo de palestras educativas para pacientes, familiares, profissionais de saúde da rede pública e agentes comunitários de saúde. 



 Os temas abordados foram Hemofilia, Artropatia Hemofílica, Complicações Hemorrágicas, Programa de Dose Domiciliar, assim como Direitos e Deveres da Pessoa com Hemofilia. As atividades aconteceram no Hotel Reponta, localizado na Tv. Princesa Isabel, 410, no município de Ponta de Pedras, Região do Marajó do Estado. 



A ASPAHC se dedica em advogar pela melhoria do tratamento e das políticas públicas voltadas para a pessoa com hemofilia no Estado. Essas ações fazem parte do projeto Reheduca (Rede de Cuidados em Hemofilia e Educação dos Tratadores) que está sendo realizado pela ASPAHC, em parceira com a FBH e HEMOPA, com apoio da Fundação Novo Nordisk e tem a finalidade de preparar os profissionais de saúde dos municípios, assim como de orientar as pessoas com hemofilia e seus familiares sobre a coagulopatia. 

 O ciclo de palestras teve como objetivo ajudar o público alvo, por meio de várias ferramentas e técnicas, a desenvolver capacidades e competências para o autocuidado. Além do mais, auxiliou na desmistificação do atendimento do paciente que sangra, assim como a expansão da rede de tratamento, de acordo com os programas do Ministério da Saúde. 

 “O objetivo foi alcançado com excelência, superando todas as expectativas. Levar o atendimento e conhecimento dos programas para os pacientes que residem distante da capital contribuiu significativamente para o sucesso, descentralização e sustentabilidade de políticas públicas de saúde, além de oferecer Vida Plena às pessoas com hemofilia no seu contexto familiar, respeitando a acessibilidade e contribuindo para o atendimento integral voltado a esse público”, destacou a Gestora do Projeto REHEDUCA e presidente da ASPAHC, Christianne Costa.

____________________

Leia Também:



AHECE participa de eventos relacionados a Hematologia, Hemoterapia e Coagulopatias Hereditárias


 A Associação dos Hemofílicos do Estado do Ceará (#AHECE ) participou da XV Jornada Cearense de Hematologia e Hemoterapia e do ​III Simpósio Cearense de Coagulopatias e Hemoglobinopatias, realizados pela primeira vez de forma simultânea nos dias 22 e 23 de Setembro no auditório do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce).



 A Jornada e Simpósio contaram com quase 200 inscritos entre médicos, biomédicos, farmacêuticos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, que acompanharam 38 atividades, entre mesas redondas, palestras, discussões temáticas e conferências, além da apresentação de trabalhos. 

Entre os principais temas debatidos, estiveram tratamentos e individualização para hemofilia, assistência farmacêutica, hemorrede, descentralização do atendimento das coagulopatias, transfusão sanguínea e doença falciforme. 


De acordo com a presidente da jornada e do simpósio e diretora de Ensino e Pesquisa do Hemoce, Vânia Ferreira Gomes, a realização simultânea permitiu tanto a dinamização da programação quanto a racionalização de custos. “Foi um desafio condensar a programação em apenas dois dias e manter o interesse dos profissionais e estudantes, mas reunimos esforços e conseguimos diversificar a programação, trazer palestrantes de outras unidades de saúde do Ceará e de outros estados e manter a atratividade tanto da jornada, quanto da palestra mas valeu a pena.”


«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga
tudo sobre hemofilia

,